Escultura Pássaro

Cód.: MGCA16

Vendido e entregue por: Claudio Aun Claudio Aun | Conheça o artista
Atacado de R$ 1.100,00
por 

R$ 880,00 - 20%

Descrição

Arte Surrealista

Dimensões:

Comprimento: 45 cm

Profundidade: 13 cm

Altura: 19 cm

Material: Resina jateada e resina com pó de mármore.

Esta é uma peça única, pertencente à Série Mecânica Quântica, que possui certificado de autenticidade, com firma reconhecida.

A Escultura

Claudio Aun usa os conceitos da mecânica quântica e física em sua arte surrealista, usando todos os materiais orgânicos e sucatas para criar esculturas metafísicas e oníricas.

A mecânica quântica prova que o átomo está presente em tudo que existe e que este é vazio e por conseguinte tudo é vazio. A física prova que tudo é onda ou partícula e está entrelaçado!

A Escultura O Pássaro é representação da abastração do pássaro através da manipulação da forma. A obra traz a silhueta de um pássaro que acolhe e protege um ovo. Nesta obra, Cláudio aborda novamente a temática da origem, da gestação, onde o ovo é começo e fim. A proteção do ovo pelo pássaro remete, por sua vez, ao instito materno.

O Surrealismo

O Surrealismo foi um movimento artístico e literário surgido primeiramente em Paris nos anos 20, inserido no contexto das vanguardas que viriam a definir o modernismo no período entre as duas Grande Guerras Mundiais.

A priori, a característica deste movimento era unir uma combinação do representativo, do abstrato, do irreal e do inconsciente. Segundo os surrealistas, a arte deve se libertar das exigências da lógica e da razão e ir além da consciência cotidiana, buscando expressar o mundo do inconsciente e dos sonhos.

O surrealismo é também uma espécie de mecanismo que não se limita a transcrever passivamente o sonho e sim descobrir um modo de acionar o inconsciente mediante ao “automatismo psíquico”. Dessa maneira, uma ideia segue a outra sem a consequência lógica das demonstrações usuais e sim automaticamente. Técnicas como a escrita automática da literatura, da colagem e a decalcomania, em relação às artes plásticas, tornaram-se muito populares entre os surrealistas que as utilizavam na produção dos seus jogos de associação livre de sentidos.