Escultura Teatro

Cód.: MGCA19

Vendido e entregue por: Claudio Aun Claudio Aun | Conheça o artista

Descrição

Arte Surrealista

Dimensões:

Comprimento: 29 cm

Profundidade: 27 cm

Altura: 47 cm

Material: Alumínio, *bronze e vidro.

Esta é uma peça única, com certificado de autenticidade e com firma reconhecida.

A Escultura

Claudio Aun usa os conceitos da mecânica quântica e física em sua arte surrealista, usando todos os materiais orgânicos e sucatas para criar esculturas metafísicas e oníricas.

A mecânica quântica prova que o átomo está presente em tudo que existe e que este é vazio e por conseguinte tudo é vazio. A física prova que tudo é onda ou partícula e está entrelaçado!

A Escultura Teatro trabalha em suas nuâncias a dualidade Alegria x Tristeza. Para a construção desta obra, Cláudio utilizou a técnica de fundição conhecida como "cera perdida", no entanto, no lugar da certa utilizou isopor. Técnica da Cera Perdida Cera perdida é um método de escultura por moldagem. Primeiramente, cria-se a escultura em cera, muitas vezes cera de abelha. Em seguida, coloca-se a escultura dentro de alguma caixa ou buraco e preenche-se o espaço com concreto ou material semelhante, deixando, contudo, um vão entre a escultura de cera e o ar. Em seguida, aquece-se essa forma e a cera evapora, deixando o molde da escultura. Por fim, coloca-se bronze ou outro material no molde. Quando o bronze esfria, quebra-se a fôrma e a escultura está pronta.

O Surrealismo

O Surrealismo foi um movimento artístico e literário surgido primeiramente em Paris nos anos 20, inserido no contexto das vanguardas que viriam a definir o modernismo no período entre as duas Grande Guerras Mundiais.

A priori, a característica deste movimento era unir uma combinação do representativo, do abstrato, do irreal e do inconsciente. Segundo os surrealistas, a arte deve se libertar das exigências da lógica e da razão e ir além da consciência cotidiana, buscando expressar o mundo do inconsciente e dos sonhos.

O surrealismo é também uma espécie de mecanismo que não se limita a transcrever passivamente o sonho e sim descobrir um modo de acionar o inconsciente mediante ao “automatismo psíquico”. Dessa maneira, uma ideia segue a outra sem a consequência lógica das demonstrações usuais e sim automaticamente. Técnicas como a escrita automática da literatura, da colagem e a decalcomania, em relação às artes plásticas, tornaram-se muito populares entre os surrealistas que as utilizavam na produção dos seus jogos de associação livre de sentidos.

* O que nós chamamos aqui de bronze, devido à composição do metal, é na verdade o chamado "brass" (latão) - o bronze consta de 40% mais cobre e é mais avermelhado do que o latão.